Curiosidades / Perguntas frequentes

Curiosidade

O que é WAGYU?
Wagyu é uma raça bovina originada do Japão. É considerada a carne bovina mais saborosa, mais macia e mais cara do mundo.
Por que o "KOBE BEEF" é tão saboroso?
“KOBE BEEF” é obtido de gados especialmente selecionados, alimentação cuidadosamente balanceada e atenção aos mínimos detalhes. No “KOBE BEEF” a gordura está infiltrada entre as fibras musculares formando desenhos perfeitos a que denominamos de “marmoreio”.

Quando são preparadas, as gorduras do “KOBE BEEF” derretem sobre as fibras musculares passando a suculência e uma ótima sensação ao paladar. Neste momento, o próprio sabor da carne se combina com a gordura que derrete por entre suas fibras, conferindo a maravilhosa característica do delicioso “KOBE BEEF”.

Informações: http://www.wagyu.org.br

Perguntas frequentes:

Boutique ou Butique?
Alguns clientes têm discutido conosco este assunto. Verificamos no site Socultura que Boutique é a forma original francesa, recomendando-se, em Português o uso do termo Butique. Verificamos, entretanto, numa pesquisa feita com o GOOGLE, que a forma Boutique é nove vezes mais popular em páginas brasileiras na Internet do que Butique, razão que nos leva a optar pela primeira forma. Bem, isso pode ser apenas uma questão semântica. O importante mesmo, é que os serviços da Ready Beef possuerm o Selo de Qualidade RB, atendendo e superando os requisitos de segurança alimentar.
Carne Vermelha é saudável?
Veja uma matéria intrigante escrita pelo Doutor Dráuzio Varella denominada: Os prazeres da carne vermelha: Verdade ancestral.Este trabalho, baseado em estudos científicos mostra, ponto a ponto, o quanto a população pode estar sendo prejudicada por escolher uma dieta baseada em carboidratos em substituição à dieta natural e ancestral, rica em proteína animal.

A seguir é transcrito um trecho desta matéria: "Nos últimos 20 anos, enquanto o consumo de gordura animal caiu 6% (de 40% para 34%) na população americana, a prevalência de obesidade aumentou de 14% para mais de 22%. Ao lado dela, cresceram os casos de diabetes e hipertensão arterial."

O autor levanta a seguinte suspeita: "Será que dietas mais pobres em gordura não levariam à obesidade?"

E conclui: "Assim, fica claro que as recomendações atuais para evitar gordura animal nas refeições são, no mínimo, desprovidas de fundamento científico. Mais grave, podem induzir a parcela da população com acesso ilimitado aos alimentos a ingerir quantidades maiores de carboidratos, que podem ser responsáveis pelo aparecimento de diabetes nos geneticamente predispostos, aumento de triglicérides e de LDL, redução do HDL e, agora sim, aumento do risco de morrer de ataque cardíaco."
Carne Seca, Carne de Sol e Charque. Qual a diferença?
A diferença reside basicamente na técnica de preparo. Todas são feitas com carne bovina, sendo que a carne de sol, depois de cortada, é ligeiramente salgada e deixada em locais cobertos e bem ventilados. Como exige um clima muito seco, o preparo da carne de sol só é possível nas regiões semi-áridas do Nordeste. A secagem é rápida, formando uma espécie de casca protetora que conserva a parte de dentro da carne úmida e macia. Dos três tipos de carne desidratada, é a que cozinha com maior rapidez.

Já a carne seca, também conhecida como carne-de-vento, carne-do-sertão, carne-do-Ceará, carne-do-Sul, ou jabá (do tupi yaba ou jabau, que significa fugir, esconder-se), é esfregada com mais sal e empilhada em lugares secos. As "mantas" de carne são constantemente mudadas de posição, para facilitar a evaporação. Em seguida elas são estendidas em varais, ao sol, até completar a desidratação.

O charque, típico da região Sul do Brasil (o nome vem do dialeto quíchua xarqui, língua dos índios que habitavam a região dos Andes), é preparado de modo similar ao da carne seca. O diferencial está na maior quantidade de sal e de exposição ao sol ao qual o charque é submetido, o que lhe garante uma maior durabilidade.

FONTE: Sadia
Qual a forma correta de cortar-se a picanha?
As fibras da picanha "correm" na diagonal , portanto a forma correta é cortar sempre perpendicularmente a elas, ou seja, na diagonal oposta, para assegurar a maciez e textura desejadas. Saiba também que a parte mais macia e saborosa da picanha é a pontinha, pois a face oposta da peça é aquela que se confunde com o início do coxão duro, que não é tão macio quanto a picanha.
Quais cortes bovinos tem menos gordura e quais tem mais gordura?
Os cortes de carne magra, que não requerem remoção de gordura pelo consumidor são: patinho, músculo, miolo da paleta, peixinho, coxão mole.

Cortes que após a remoção da gordura visível (subcutânea e intermuscular) resultam em carne magra: contrafilé, acém, pescoço (vendido como lombo pelos açougueiros), lagarto, maminha, miolo de alcatra, fraldinha.

Cortes que apesar de terem gordura entremeada, ficam com menos de 10% de lipídios após a remoção da gordura externa: picanha e coxão duro.

Cortes com mais de 10% de lipídios, em gordura entremeada, impossível de remover-se fisicamente: peito, costela, cupim.
Qual a forma correta das embalagens para carnes refrigeradas, resfriadas e congeladas?
A melhor embalagem para carnes congeladas é a de saco plástico apropriado para alimentos, ou seja, de boa densidade. Deve retirar-se o ar depois de colocar os pedaços de carne em seu interior, com o auxílio de uma bomba própria, encontrada em grandes supermercados e lojas de embalagens ou artigos para festas.

Já as carnes resfriadas devem ser colocadas ou na gaveta reservada a elas, existente na maioria das geladeiras. Na falta desta gaveta, coloque-as em recipiente plástico retangular (tipo Tupperware) de tamanho proporcional ao volume da carne. O importante, tanto no congelamento quanto no resfriamento, é manter a carne com o mínimo possível de ar em volta dela, pois o que acelera o deterioramento dos alimentos é a oxidação (provocada pelo oxigênio).
Qual a parte do boi é mais magra, para alguém que está com o colesterol altíssimo?
A elevação de triglicérides e colesterol circulantes é um indicador de que seus hábitos de vida precisam ser ajustados para que estes valores diminuam, e assim o Sr. fique protegido de conseqüências danosas para o seu sistema cardiovascular. Entre estes ajustes, a alimentação deve ser adaptada, e é provável que seja necessário reduzir o consumo de alimentos de origem animal, como o leite e os derivados (manteiga e queijo), carnes, aves e pescados. Isto não quer dizer, necessariamente, que estes alimentos devam ser eliminados de sua dieta. Outras providências, como a redução da energia total da dieta, e a complementação com outros nutrientes e fibra, podem também ser necessários.

Para avaliar adequadamente quais alimentos devem ser restringidos, e em que proporção, recomendamos consulta a um nutricionista, que de posse dos seus exames e por meio de avaliação nutricional, poderá fazer o diagnóstico e definir a conduta mais adequada.
Qual a origem dos nomes dos cortes de carne bovina?
Não existe lógica para nomenclatura dos cortes cárneos, a não ser pelo fato de que alguns nomes têm uma relação com a localização anatômica, por exemplo pescoço, paleta, costela, peito, coxão mole e coxão duro, também conhecidos como chã-de-dentro e chã-de-fora, ambos são do coxão ou coxa do boi. Ou ainda a posição em relação a outro corte, por exemplo, o contrafilé que fica em contraposição, ou seja, do lado oposto das vértebras, em relação ao filé ou filé-mignon, e a capa-de-filé, que deve vir de capa-de-contrafilé, porque fica sobre o contrafilé na parte torácica.

Interessante é o caso da picanha, que provavelmente vem de aguilhão ou aguilhada, vara comprida com ferrão na ponta usada para tanger os bois, conhecida no RS e MT como picanha; o local mais freqüente da aguilhoada, ferroada ou picada viria a ser a picanha que deve ter dado picanha.

Outros nomes têm relação com a forma, que "lembraria" um patinho ou um lagarto (tatu no RS), ou um peixinho, ou ainda um número, como o "sete da paleta com osso", onde a escápula secionada transversalmente assume a forma do número sete. Vários outros não têm origem conhecida no Português em uso no Brasil, mas pode ser que tenham sua origem no Português de Portugal, ou até mesmo no Castelhano. No caso do filé, diz-se que vem do francês "filet", mas também pode ser que venha do espanhol "filete", que é uma fatia fina, um friso ou tira.